08 mar

A moda sempre foi uma área onde as mulheres tiveram destaque, mas até nesse mercado há quem queira nos mostrar nosso “verdadeiro lugar”. No Dia Internacional da Mulher, nada melhor do que lembrarmos daquelas que revolucionaram o setor e mostraram que nós podemos sim alçar voos mais altos e sair do óbvio que os padrões do sexismo nos impõe.

A primeira é Coco Chanel, a primeira estilista a dar seu próprio nome a uma fragrância, a “Chanel n° 5”, mundialmente conhecida. Ela acrescentou no guarda-roupas feminino as pérolas, o tailleur, o cardigã, o vestido tubinho e as listras navy. A estilista se preocupava com o conforto e por isso vivia pegando peças do guarda roupa masculino. Podemos dizer que ela libertou as mulheres da moda imposta no ano 1920, com pesados vestidos e corseletes apertados. O “estilo Chanel” está imortalizado no mundo da moda. Quando faleceu em 1971, aos 87 anos, ela ainda trabalhava. Chanel tirou sua marca do nada, confiou em seu talento quando ninguém o fez. Símbolo de força e resistência.

 

A popularmente conhecida como Bonequinha de Luxo, a atriz Audrey Hepburn foi ícone dos anos 1950. Ela virou referência de beleza e até hoje é inspiração para muitas pessoas. Audrey trouxe algo que as vezes é esquecido na moda: a simplicidade. Ela foi responsável por colocar o cocktail dress e as sapatilhas como opção para ocasiões especiais. Ela foi musa da Givenchy que produziu o atemporal vestido tubinho preto. Que é básico e é quase item básico do closet feminino. Lembram do look de Lady Gaga no Oscar inspirado nele? A atriz ainda usou um diamante que apenas Audrey tinha usado.

Conhecida também como Miu Miu, Miuccia Prada é formada em ciências políticas e ex-militante do Partido Comunista Italiano. Ela herdou da família a grife Prada que à época era produtora de bagagens, e a transformou em uma das marcas mais conhecidas do mundo. Todos comentam que Miuccia consegue sacar o que as mulheres querem vestir nas estações que estão por vir e, por isso, a Prada é responsável por lançar inúmeras tendências. Lá no instagram mostramos essa semana que eles sinalizaram, no ano passado, que as tiaras e bandanas voltariam e voilá, a trend tem feito nossas cabeças. A marca traz feminilidade sem apelar para o sensual, deixando em evidência o fato de que as mulheres são inteligentes, bem informadas e vão muito além do corpo.

 

Ser mulher é sinônimo de luta diária. É ter que provar nossa capacidade, é ter que respirar fundo ao sermos interrompidas, é ir contra uma maré machista e sexista que insiste em nos inferiorizar. Por isso, desejo a todas nós muita força e resiliência para, juntas, mostrarmos ao mundo que podemos muito mais.

Responder para Vânia // Cancelar resposta

  1. Jaqueline mar 10, 2019

    Audrey Hapburn não só foi um ícone da moda mas como um ser humano incrível e altruísta ♥ Todo mundo tem um pretinho básico no guarda roupa graças a ela ♥

    http://www.blogflorescer.com

  2. Samanta dafini mar 10, 2019

    Se eu encontrasse as três nos dias de hoje eu diria,”lindissima disseram tudo, amo muito vocês”. Porque elas foram uma grande influência na moda positivamente sim, e eu acho incrivel que mulheres tão forte, puderam influeciar tanto até nos dias de hj.

    https://www.dosedeestrela.com.br/

  3. Vânia mar 11, 2019

    Não sabia a história da Prada, agora que entendi que a Miu Miu é a marca que acompanha. Quem diria que uma pessoa ativista que estudou política, ia entender tanto de moda e tendências, adorei!

    Zíper Chique

  4. Simone Benvindo mar 12, 2019

    Ainda não conhecia o rosto por trás da Prada, adorei. Essas mulheres foram e são incríveis.
    Charme-se

  5. Juliana mar 24, 2019

    Audrey Hapburn sempre maravilhosa. ♥

    Por mais mulheres que revolucionem a moda e o mundo todos os dias. \o/

    Beijos!