09 jan

Com a ideia de ser mais sustentável e não compactuar mais com o sofrimento animal, o mundo da moda tem se adaptado e fortalecido no meio sustentável. Prova disso são as inovações em tecidos como a seda, que agora é feita do bagaço da laranja e também do couro, que tem sido feito com o abacaxi e até com a maçã. Recentemente, no México, foi criado um couro feito de cactos.

Chamado de “Desserto Pele”, ele foi desenvolvido por Adrián Lopez Velarde, que atuava na indústria automobilística e por Marte Cázarez, que já trabalhava no mundo da moda. Os dois são mexicanos e a pesquisa para chegar a esse couro levou cerca de dois anos. Juntos, eles estão a frente da “Adriano di Mari”, empresa focada em novos negócios que diminuam o impacto da criação de animais no meio ambiente.

A principal obra prima utilizada é o Notus Cactos, que é muito comum no México, não precisa de água para crescer e auxilia na criação de um tecido democrático e que contribui para a redução do lixo e poluição gerada pelo couro de animal e pelo courvin, cuja base é o plástico.

O Desserto é livre de químicos tóxicos, de PVC e de ftalatos, um aditivo que deixa o plástico mais maleável. Ele será usado tanto pela indústria da moda quanto pela automobilística. Os fabricantes asseguram que o tecido é orgânico, respirável, parcialmente biodegradável, flexível, de alta resistência e que dura pelo menos 10 anos. O couro já é comercializado sem quantidade mínima, e custa US$ 25 o metro que tem 1,40 cm de largura.

  1. Lulu jan 09, 2020

    Achei muito interessante o conceito de usar cacto como couro vegano.
    Convido vc para participar da minha pesquisa de público
    Big Beijos
    Lulu

    • natalia jan 30, 2020

      curioso, né? fico feliz quando alguém tem uma ideia dessas.. bjs