01 jul

Em época de São João, é bem comum vermos as pessoas desfilando looks com a estampa xadrez por aí. Mas engana-se quem pensa que essa padronagem é exclusiva para esse período. O xadrez tem sido cada vez mais repaginado no mundo da moda e já é possível encontra-lo em vários formatos diferentes, que trazem estilo às mais diversas composições.

O formato tartã do xadrez também veio lá da Escócia e tem o vermelho como cor principal. A padronagem ficou famosa através do movimento punk, quando os jovens, no final da década de 70, customizavam suas próprias peças. Os quadrados são apresentados nos tamanhos médios ou grande e, nesse estilo, tendem a aumentar o corpo. Para quem gosta de disfarçar o quadril, opte por ela na parte de cima, em uma camisa ou cropped. Já quem deseja aumentar o quadril, opte por calça, ou até mesmo uma saia xadrez que, na minha opinião, é a peça que mais combina com a estampa.

O tattersall é um dos padrões de xadrez mais antigos do mundo. O nome veio da família Tettersall, do Reino Unido, famosa pelo mercado de leilões de cavalos. Essa padronagem é conhecida como “xadrez do ambiente country” e é muito usado em camisas e coletes. Uma curiosidade: a origem dele veio dos padrões de cobertores de cavalo. Por ser uma padronagem mais fina, esse formato não tem grandes impactos no nosso tipo físico. Para mim, é um dos mais elegantes e, apesar de ser antigo, tem um ar moderno.

Apesar de ser marca registrada de Cher, em as Patricinhas de Bervely Hills, a padronagem no formato príncipe de gales é uma das mais discretas. Nascido na Escócia, ele é tradicionalmente desenhado na base cinza, mas pode ser repaginado em outras cores e usado tanto em um conjunto, quanto em uma saia ou até mesmo no blazer, peça que, em minha opinião, combina fielmente com a estampa nesse estilo. A leveza do formato príncipe de gales é ideal, pois não avança e nem retrai o corpo, sendo assim, pode ser usado por todos os tipos físicos de maneira bem democrática

Por fim, uma estampa xadrez bem minimalista, o grid é composto por um quadriculado de linhas mais finas. Delicada e atemporal, essa estampa é muito versátil e é considerada como o xadrez que nunca sai de moda. O que eu mais acho vantajoso nessa padronagem é que ela é, de fato, bastante clean e, por isso, não é tão marcante como as outras. Sendo assim, é mais fácil de combinar e de usar entre uma temporada e outra. Seja no frio ou no calor, estampas coringas são sempre bem-vindas, né?

Outros tipos de xadrez:

Artsy: Uma releitura clássica do xadrez. A padronagem foi a escolha de grandes marcas como Chloé, Gucci e Oscar de la Renta devido a sua forma mais minimalista e suave que formam alguns quadrados ao longo do tecido.

Madras: É despojado, apresentado em cores vivas e, por isso, mais procurado pelo público jovem.
Pied-de-poule e pied-de-coq: Em francês significa pé de galinha, que apresenta formas menores ou pé de galo, que é a versão ampliada. Chanel foi a responsável por divulgar esta padronagem que tem como carro-chefe em preto e branco. Atualmente, ela está sendo ofertada em outras cores.

Argyle: É o xadrez apresentado no formato losango. Geralmente é vendido em cores mais claras e que podem ter leves linhas ou ser lisas.

Buffalo Check: Quadrados grandes que mesclam o preto e o vermelho, o buffalocheck é um xadrez grosseiro. Comum em camisas de flanela, por exemplo, dá a ideia de uma moda utilitária e bastante dramática.

Grunge: Muito semelhante ao tartan, o grunge também traz a ideia de drama ao look. Uma composição mais despojada é ideal, mas um hi-lo (mix de estilos) também vai muito bem.

Madras: Uma vibe divertida que mescla tons claros e vibrantes. Muito comum na primavera e verão.

Old England: Como o próprio nome já diz, ele faz alusão a uma Inglaterra mais antiga. É bastante comum nos tons verdes.